quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Eleição do dia 26. A 4 dias, quem decide?

Para quem gosta de projeções e análises pertinentes, o ex-Prefeito, ex-Deputado Constituinte e ex-Secretário de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro, economista Cesar Maia, apresenta  este texto.

"O QUE OCORRERÁ COM ABSTENÇÃO, BRANCOS E NULOS NO DIA 26/10/2014? COMO INFLUENCIAM O RESULTADO?
          
1. As pesquisas são feitas em base às informações do TSE, que incluem gênero, idade e local de votação. Os demais recortes são feitos em base censitária pelos Institutos de Pesquisa.  Dessa forma, a base das pesquisas é o total do eleitorado, incluindo, portanto, o que na urna se saberá em relação a brancos, nulos e abstenção.
          
2. Quando as tendências do eleitorado são estáveis, a abstenção não altera os resultados das pesquisas de opinião. Mas quando a intenção de voto dos eleitores é volátil, a abstenção pode mudar tudo. E se a volatilidade é grande, até mesmo os brancos e nulos podem mudar no dia da eleição. Mudar em dois sentidos: decidir votar, ou os que decidiam votar, nas pesquisas, na hora do voto, anular ou votar em branco. Segundo o Datafolha, 15% dos eleitores decidiram em que presidente votar, no primeiro turno-2014, na véspera e no dia da eleição. Esse número tende a ser menor agora com apenas 2 candidatos. Mas quão menor?
          
3. Vamos aos números. As pesquisas de intenção de voto no segundo turno vêm dando uns 10% de brancos e nulos, mais de três vezes a diferença entre Dilma e Aécio. E fazem abstração –como é natural- da abstenção, mesmo sabendo que estará próxima a 20%, supondo, como tradicionalmente ocorre, que não influenciam o resultado da eleição. Será?
          
4. O que ocorreu nas últimas 3 eleições?  Em 2006, no primeiro turno os votos brancos/nulos foram 8,4% e a abstenção 16,75%. No segundo turno, os brancos e nulos caíram para 6% mas a abstenção cresceu para 19%. Em 2010, no primeiro turno, os brancos/nulos foram 6,7% e a abstenção 18,1%. No segundo turno, os brancos/nulos cresceram para 8,6% e a abstenção subiu para 21,50. Em 2014, no primeiro turno, os brancos/nulos atingiram 9,6% e a abstenção 19,4%.
          
5. Com uma campanha em 2014 -no segundo turno- muito mais disputada e polemizada, é provável que a abstenção seja próxima de 2010, quando a eleição ainda não estava completamente definida uns 10 dias antes da eleição. Ou seja, 21,50%. Mas a tendência dos votos brancos/nulos não se pode prever em função das agressões recíprocas.  Suponhamos que os 9,6% do primeiro turno se repitam.
          
6. Fazendo os ajustes, 25% dos eleitores não influenciarão os votos válidos. Supondo que metade da abstenção é compulsória (doentes, muito idosos, estão ou moram fora de seu registro eleitoral, presos...), esses 25% baixam para uns 18%. Supondo que os brancos/nulos sejam os mesmos eleitores das pesquisas de intenções de voto, aqueles 18% baixam para 9%.
          
7. Usando como referência uma série de eleições, os números de um ou outro candidato só podem sinalizar favoritismo e vitória se as pesquisas finais indicarem uma vantagem de 5 pontos sobre os votos totais. Nas pesquisas já publicadas do Datafolha e Ibope, esta vantagem ainda está em torno da metade desses 5%.
          
8. Ficando nessa metade, só a urna nos dirá quem venceu."

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Amunpar. Aécio x Dilma

Resultado do 1º turno para presidente na Amunpar, microrregião formada por 29 municípios, apontou uma vantagem de votos para Aécio Neves, que venceu, por exemplo, nos maiores colégios - Paranavaí e Loanda.

Por município, porém Aécio venceu em 12 municípios, a saber: São Pedro do Paraná, Santa Isabel do Ivaí, Diamante do Norte e Loanda, no chamado "fundão". E venceu também em Nova Aliança do Ivaí, Amaporã, São Carlos do Ivaí, Alto Paraná, Guairaçá, Terra Rica, Tamboara e Paranavaí.
Foram 17 vitórias da Dilma Rouseff:
Jardim Olinda 61,02% a 24,12%
Santa Monica 59,94% a 32,62%
Cruzeiro do Sul 58,36% a 32,63%
Marilena 56,91% a 33,91%
Porto Rico 56,89% a 30,80%
Mirador 55,38% a 32,22%
Querencia do Norte 55,37% a 33,89%
Paranapoema 54,17% a 27,79%
Santa Cruz de Monte Castelo 52,63% a 40,19%
Itaúna do Sul 52,29% a 34,59%


Planaltina do Paraná  51,79% a 37,16%
Inaja 51,74% a 33,50%

Paraiso do Norte 50,19% a 39,24%

São João do Caiua 49,72% a 36,49%
Santo Antonio do Caiua 45,87% a 42,73%
Paranacity 44,93% a 40,25%
Nova Londrina 44,17% a 38,34%

Como verdade eleitoral, discutível, claro, tem-se que nas cidades o principal cabo eleitoral é o prefeito. Aparentemente isso não valeu no 1º turno, onde o eleitor seguiu suas convicções e não a preferência do prefeito, ou da prefeita.

Daqui a 11 dias, eleitores voltam as urnas para dar seu voto definitivo. Em todas essas cidades, no Paraná e no Brasil. O cidadão protagonizando a história. #vempraurna!

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

São Paulo sofre por falta d'água; Paranavaí se preocupa?

Manancial que abastece Paranavaí em perigo.  Foi debatido no Conselho do Meio Ambiente, projeto de lei aparentemente inofensivo, para criar uma faixa de milhares de metros quadrados nas margens da avenida Gabriel Esperidião e da continuação, na BR-376, para implantar construções com baixo impacto ambiental.
Na prática é regularizar construções irregulares e permitir livremente a construção de outros estabelecimentos. 
Ocorre que essa área esta dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) do ribeirão Arara. 
O Município não precisa comprometer essa área, pois ela representa em torno de apenas 1% do território de Paranavaí, e existem muitas outras áreas para implantar esse tipo de construção.

Curioso que na reunião estiveram presentes o Prefeito e 3 secretários municipais. Estão preocupados em preservar o manancial em favor de todos ou favorecer alguns em prejuízo da população? 


Esperar que na Câmara seja barrada tal pretensão.

Veja o link com a reportagem do DN
http://diariodonoroeste.com.br/noticia/cidades/local/62455-zona-de-comercio-e-servicos-na-faixa-da-avenida-gabriel-esperidiao-e-br-376#.VD6SHeXps5R

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Eleições. PSDB de Paranavaí tem melhor desempenho

Como mencionamos, depois do dia 05, eleição para deputado estadual, federal, senador e Governador em 1º turno, retomaríamos os comentários sobre política, dissecando os resultados e os desdobramentos nas eleições municipais de 2016.

Dentre os partidos tradicionais, PSDB, PMDB e PT tiveram os 3 principais candidatos a Governador do Paraná.
Em termos locais, assim como no Estado, foi o PSDB de Paranavaí que além de se empenhar para a eleição de Beto, Álvaro e Aécio, teve melhor desempenho com seus candidatos a deputado Estadual, frente aos candidatos do PMDB e do PT.
Vejamos, pois.
Excluindo 4 dos 5 candidatos com domicílio eleitoral aqui, naturalmente preferidos pela população, pelo fato de serem "da casa", foi do PSDB, o candidato a estadual mais votado - Luiz Accorsi.
Accorsi, superou o candidato do diretório local do PT, Arilson Chiorato, fazendo quase o dobro de votos, e somou os 3 candidatos mais votados do PMDB - Kielse, Requião Filho (com 203 votos), apoiado pelo Prefeito, e Anibelli Neto, apoiado pelo Diretório municipal!
Não é pouco.

Aviso aos navegantes
Em outra postagem, o desempenho do PSDB na região da Amunpar, com os candidatos Accorsi Estadual e Rossoni, Federal, o 3º mais votado em todo o Estado.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Prévia das municipais de 2016

Neste período agudo de campanha, estou focado nos compromissos em minhas atividades, e no tempo disponível (16 horas por dia), nas candidaturas de Governador, Presidente, Senador, Deputado Federal e Deputado Estadual que defendo.

Atento à cena política, para voltar após dia 05 de outubro, com o mapa político na região, especialmente de Paranavaí, e os desdobramentos para 2016.

Vote consciente. Faltam 40 dias para vc finalizar suas escolhas.

sábado, 19 de julho de 2014

Qualidade de vida. O futuro da água de Paranavai

Na 6ª feira última, o Diário do Noroeste trouxe uma reportagem sob o título Paranavaí pode receber investimentos para aumentar a captação de água, e que as autoridades estão preocupadas com a falta de água a partir de 2018!

Os motivos apontados para novos investimentos, para captar água mais longe, criar uma nova área de proteção ambiental - APA, se deve ao fato de que “A água que a população de Paranavaí consome atualmente é proveniente dos ribeirões Arara e Floresta, mas, segundo estudos que levam em conta o crescimento populacional e econômico, esse depósito deverá ser suficiente para abastecer o município só até 2018, quando o sistema poderá entrar em colapso”, explica o engenheiro florestal da Emater, Erni Limberger. 


O que causa perplexidade é que esse crescimento populacional e econômico, não precisaria avançar sobre essa área, que é uma APA, e poderiam e deveriam ser direcionados para outra área do município, uma vez que a mesma representa apenas cerca de 1% do território de Paranavaí.

Só o Ministério Público pode impedir a destruição/contaminação  dessa APA, revendo as recentes construções com fins comerciais e sociais e fortalecendo o uso sustentável da mesma, para que a água de Paranavaí, vem da represa do ribeirão Araras, seja preservada em quantidade e qualidade.





quinta-feira, 3 de julho de 2014

Ficha limpa Paranavai. Um avanço

O vereador Aldrey Azevedo(DEM), faz tramitar na Camara Municipal de Paranavai, projeto de lei que pretende contribuir para melhorar a imagem junto aos contribuintes-cidadãos, do poder publico local e de seus agentes políticos.

Com sua experiencia como advogado, constatou que cabe uma lei ampliando o rigor para o exercício da função publica, seja para nomeação para cargos de confiança, seja para cargos de provimento por concurso.

No contato com o Vereador, vamos buscar informações sobre a aplicação  pratica da lei, se aprovada, inclusive quais documentos que seram exigidos para demonstrar que o nomeado nao tem restrições que o impediriam de assumir cargos e funções no setor publico municipal.